Dicas

História do brinco


Postada em 29/01/2021 às 11:37
Por Fernanda Silos


Estudiosos afirmam que usar brincos era sinal de riqueza e até mesmo de identificação cultural, e afirmam que ele surgiu por volta de 2500 a.C. Eles contam que com base em crenças antigas, os espíritos malignos penetravam pelas perfurações no corpo das pessoas, e para impedir cobriam os furos, surgindo assim, os primeiros brincos. Com origem na Ásia e no Oriente Médio, chegaram com formatos de argolas e os tipos pendentes ganharam estilo e influenciavam as condições econômicas. Quem usava uma peça dessas, era sinal de riqueza.

Dizem também, que os marinheiros usavam essas peças indicando que tinham viajado pelo mundo todo ou cruzado a linha do Equador. Conta-se que o brinco também era usado para o pagamento de um enterro apropriado, caso o marinheiro se afogasse. Na Grécia Antiga, o brinco de ouro pagava o barqueiro para fazer a passagem até o Hades. Algumas lendas diziam que nas Arábias, os brincos surgiram porque algumas esposas por ciúmes dos maridos com as escravas furavam os lóbulos das orelhas das escravas. Depois, por dó, as esposas cuidavam das feridas e as presenteavam com argolas de ouro para se desculpar.

Brincos com pedras preciosas eram muito usados no império romano, e indicavam as mulheres ricas. Já na idade média, ele foi muito usado pelas pessoas mais pobres, pois nessa época, o forte eram os cabelos com penteados e roupas mais chiques.

No século XVI os cabelos já passaram a serem usados mais presos e no alto da cabeça, assim os brincos voltaram a aparecer. Mas, depois de um tempo, foram esquecidos novamente, pois nessa época os cabelos cobriam as orelhas, e o uso de chapéu ou boné, era praticamente obrigatório. Nessa mesma época, os costumes católicos faziam ligação dos brincos ao paganismo, vaidade e excessos morais. Na década de 1590 os brincos tornaram-se moda entre cortesãos e políticos. Um documento de 1577 afirma que cortesões e senhores de coragem, usavam anéis de ouro com pedras e pérolas nos ouvidos.

No Japão, era uma tradição para homens e mulheres Ainu usarem, mas o governo de Meji Japão proibiu o uso por homens no final do século XIX. Para tribos nômades turcas, o uso de brincos também era muito comum.

Já no séculos XX, se tornam populares e voltam com formas, tamanhos e pesos diferentes. Na década de 1980, os homens passaram a usar brincos e mais tarde, foi adotado por muitos atletas.

O uso de vários brincos em uma ou nas duas orelhas, surgiu na América em 1970. Em 1990 começou a aparecer na sociedade ocidental, o brinco de lóbulo da orelha de alongamento, que é muito comum em culturas indígenas, mas até hoje não é tão frequente como o brinco comum.

Hoje em dia, temos uma variedade de brincos e a moda ajuda a se tornar cada vez mais presente.